Veja Amy Winehouse, cartas de Lady Gaga para Tony Bennett

[ad_1]

Como qualquer um que esteja vi o documentário de Amy Winehouse Amém Talvez se lembre, a problemática cantora ficou inicialmente abalada quando ela e Tony Bennett estavam gravando um dueto em um estúdio de gravação, poucos meses antes de sua morte. “Amy estava pirando e a fita estava rodando”, lembra Danny Bennett, que era empresário de seu pai. “Ela estava pronta para fugir a qualquer momento.”

O que não vemos no documento é o momento em que Danny Bennett abordou Winehouse e, a pedido de seu pai, pediu que ela autografasse uma cópia da partitura que usaram para cantar o padrão “Body and Soul”. “Feliz 85º / Sua linda lenda”, escreveu Winehouse. “Seu maior fã. (Meu pai é literalmente muito maior pessoalmente do que eu), Amy XX.”

Por algo entre US$ 1.000 e US$ 1.500 (embora possivelmente muito mais), esse item colecionável poderá em breve estar nas mãos de um fã de Bennett ou Winehouse. Juntamente com centenas de outros itens, fará parte de um próximo leilão, “Tony Bennett: A Life Well Lived”, de itens dos arquivos pessoais de Bennett.

Leilão de Julien

Após a morte de Bennett em julho passado, aos 96 anos, Danny Bennett percebeu a extensão das lembranças que seu pai havia deixado para trás em um depósito em Nova York. “Tony nunca teve nenhum prêmio em sua casa”, diz Danny Pedra rolando. “Nunca crescemos assim. Eles estavam todos no meu escritório. Tony os acharia muito perturbadores.” Os arquivos incluíam microfones de seus shows ao vivo, cartas de presidentes e celebridades, pinturas que Bennett colecionou e criou, e até mesmo um sino do teleférico de São Francisco que lhe foi dado depois de ter apoiado a campanha da então prefeita Dianne Feinstein para reconstruir a cidade. sistema na década de oitenta. (Seu hino “I Left My Heart in San Francisco” também foi levado em consideração nesse prêmio.)

Nos leilões de Julien, nos dias 18 e 19 de abril, centenas desses itens colecionáveis ​​estarão em disputa, incluindo alguns dos ternos que Bennett usou no palco. “Ele não era Elton John”, diz Danny Bennett, “mas temos alguns deles”. Depois que Bennett e Stevie Wonder gravaram um dueto de “For Once in My Life” de Wonder, Wonder presenteou Bennett com a gaita Hohner que ele tocou no estúdio (de US$ 800 a US$ 1.200). Um álbum de recortes de couro vermelho, com preço preliminar de US$ 8 mil a US$ 12 mil, contém cartas de Martin Scorsese, Madonna, Robert De Niro, Quincy Jones e Barbra Streisand para Bennett, entre outros. Entre os itens mais caros – com preço sugerido entre US$ 20 mil e US$ 30 mil – está uma carta datilografada de 1965 para Bennett, de Martin Luther King Jr.; nele, King agradece a Bennett por entreter os participantes da marcha pelos direitos civis de Selma a Montgomery daquele ano.

Leilão de Julien

O que fica claro na coleção – que estará em exibição no Fairmont Hotel de São Francisco, de 8 a 10 de abril, e depois no edifício Jazz at Lincoln Center, em Nova York, de 10 a 16 de abril – é que o próprio Bennett era tão especialista em souvenirs quanto qualquer outro. . “Ele tinha uma coleção”, diz Danny sobre a prática de seu pai de pedir lembranças autografadas de seus parceiros de colaboração. “Era muito pessoal para ele.”

Junto com Winehouse, Bennett também fez Lady Gaga autografar a partitura de “The Lady Is a Tramp” de Rodgers e Hart, que eles fizeram um cover em um álbum de dueto. (“Querido Tony, sempre serei seu vagabundo”, escreveu Gaga. Esse item está estimado em US$ 1.000 a US$ 1.500.) Quando Bennett presenteou os Beatles com um NME prêmio na Inglaterra em 1965, ele pediu a todos que autografassem uma foto publicitária sua; aquela foto autografada está custando pelo menos US$ 4.000 a US$ 6.000.

Tendendo

A família Bennett decidiu manter muitos itens da família. O próprio Danny está segurando uma pintura que seu pai criou enquanto estava sentado na varanda da frente do complexo Kennedy em Hyannis Port, Massachusetts, nos anos sessenta. “Ele era próximo dos Kennedys”, diz Danny, “e queria que eu ficasse com isso”.

Quanto ao futuro, Bennett diz que está trabalhando em uma exposição da arte de seu pai e em outros projetos legados. Ainda este ano, Paramount Plus finalmente estreará A Dama e a Lenda, um documentário sobre a amizade de Bennett com Gaga que está em andamento há vários anos. Em primeiro lugar, porém, está o leilão e seu conteúdo. “É melhor do que ter tudo guardado em algum armário”, diz Bennett. “Pertence ao povo.”

[ad_2]

Leave a Comment