NASA divulga relatório sobre OVNIs, diz que é necessária mais ciência para entendê-los

[ad_1]

CABO CANAVERAL, Flórida – NASA disse quinta-feira que o estudo dos OVNIs exigirá novas técnicas científicas, incluindo satélites avançados, bem como uma mudança na forma como os objetos voadores não identificados são percebidos.

A agência espacial divulgou as descobertas depois de um estudo de um ano sobre OVNIs.

Em seu relatório de 33 páginas, uma equipe independente encomendada pela NASA alertou que a percepção negativa em torno dos OVNIs representa um obstáculo à coleta de dados. Mas as autoridades disseram que o envolvimento da NASA deve ajudar a reduzir o estigma em torno do que chama de UAPs, ou fenômenos anômalos não identificados.

“Queremos mudar a conversa sobre os OVNIs do sensacionalismo para a ciência”, disse o administrador da NASA, Bill Nelson. Ele prometeu uma abordagem aberta e transparente.

As autoridades enfatizaram que o painel não encontrou nenhuma evidência de que os OVNIs tivessem origem extraterrestre. Mas Nelson reconheceu que com milhares de milhões de estrelas em milhares de milhões de galáxias por aí, outra Terra poderia existir.

“Se você me perguntar se acredito que existe vida em um universo que é tão vasto que é difícil para mim compreender quão grande é, minha resposta pessoal é sim”, disse Nelson em entrevista coletiva. Os seus próprios cientistas estimam a probabilidade de existência de vida noutro planeta semelhante à Terra em “pelo menos um bilião”.

Quando pressionado por repórteres sobre se os EUA ou outros governos estão escondendo alienígenas ou naves espaciais de outro mundo, Nelson disse: “Mostre-me as evidências”.

A NASA disse que não procura ativamente por avistamentos inexplicáveis. Mas opera uma frota de naves espaciais que circulam a Terra que pode ajudar a determinar, por exemplo, se o clima está por trás de um evento estranho.

O painel de 16 membros observou que a inteligência artificial e o aprendizado de máquina são essenciais para identificar ocorrências raras, incluindo OVNIs.

A NASA nomeou recentemente um diretor para pesquisa de OVNIs, mas não está divulgando a identidade para protegê-los do tipo de ameaças e assédio enfrentados pelos membros do painel durante o estudo.

“É em parte por isso que não divulgamos o nome do nosso novo diretor, porque a ciência precisa ser livre. A ciência precisa passar por um processo real, rigoroso e racional, e você precisa de liberdade de pensamento para poder fazer isso”, disse Dan Evans, contato da NASA com o painel.

Nenhum arquivo ultrassecreto foi acessado pelos cientistas, especialistas em aviação e inteligência artificial e pelo astronauta aposentado da NASA Scott Kelly, o primeiro americano a passar quase um ano no espaço. Em vez disso, o grupo baseou-se em dados não classificados na tentativa de compreender melhor os avistamentos inexplicáveis ​​no céu.

As autoridades disseram que há tão poucas observações de alta qualidade que nenhuma conclusão científica pode ser tirada. A maioria dos eventos pode ser atribuída a aviões, drones, balões ou condições climáticas, disse o presidente do painel, David Spergel, presidente da Fundação Simons, um grupo de pesquisa científica.

O governo se refere a avistamentos inexplicáveis ​​como UAPs versus OVNIs. A NASA os define como observações no céu ou em outro lugar que não podem ser facilmente identificadas ou explicadas cientificamente.

O estudo foi lançado há um ano e custou menos de US$ 100 mil.

[ad_2]

Leave a Comment