Mais de 280 alunos nigerianos raptados

[ad_1]

Mais de 280 alunos nigerianos foram raptados na cidade de Kuriga, no noroeste, dizem as autoridades.

Os alunos estavam no local de concentração por volta das 8h30 (7h30 GMT), quando dezenas de homens armados em motocicletas passaram pela escola, disse uma testemunha.

Os alunos, com idades entre oito e 15 anos, foram levados, juntamente com uma professora, acrescentaram.

Gangues de sequestro, conhecidas como bandidos, capturaram centenas de pessoas nos últimos anos, especialmente no noroeste.

No entanto, houve uma redução no sequestro em massa de crianças desde o ano passado até esta semana.

O sequestro foi confirmado por Uba Sani, governador do estado de Kaduna, que inclui Kuriga.

Ele disse que 187 estudantes desapareceram de uma escola secundária e 125 da escola primária local, mas que 25 já retornaram.

A testemunha ocular, entretanto, disse que uma menina foi baleada pelos homens armados e estava recebendo atendimento médico no hospital Birnin Gwari.

Um professor que conseguiu escapar disse que a população local tentou resgatar as crianças, mas foram repelidas pelos homens armados e uma pessoa foi morta.

Acredita-se que quase todas as famílias da cidade tenham um filho entre as vítimas sequestradas e as forças armadas lançaram uma operação para encontrá-los.

“Nenhuma criança será deixada para trás”, prometeu o governador.

Em janeiro, bandidos mataram o diretor de uma escola na região e sequestraram sua esposa.

O sequestro ocorre dias depois de dezenas de mulheres e crianças serem temidas sequestrado pelo grupo islâmico Boko Haram enquanto coletavam lenha no nordeste da Nigéria.

No entanto, não se pensa que os dois casos de sequestros em massa estejam relacionados.

Os gangues criminosos de rapto que trazem medo ao noroeste da Nigéria são separados do grupo militante islâmico Boko Haram, no nordeste, embora tenha havido relatos de que poderão ter trabalhado juntos ocasionalmente.

O ataque de quinta-feira aconteceu numa área controlada pela Ansaru, uma facção dissidente do Boko Haram, que sequestrou mais de 200 estudantes da cidade de Chibok em 2014.

Numa tentativa de conter a crescente e lucrativa indústria de raptos da Nigéria, foi aprovada em 2022 uma lei controversa que tornou crime o pagamento de resgates. A lei prevê uma pena de prisão de pelo menos 15 anos, mas ninguém nunca foi preso.

No início deste ano, a família de um grupo de irmãs raptadas na capital, Abuja, negou uma declaração policial de que as forças de segurança tinham resgatado as meninas, dizendo que eles não tiveram escolha a não ser pagar o resgate.

Mapa

Mapa


Você também pode estar interessado em:

[ad_2]

Leave a Comment